domingo, 1 de novembro de 2009

Fim...


E porque tudo tem um fim, sinto que chegou a hora de encerrar definitivamente esta página, a todos vocês que me seguem e caso queiram continuar a seguir-me enviem-me um email que logo vos direi por onde ando.
Lamento não deixar aqui o link, mas existem boas razões para isso...

Beijos e abraços



13 comentários:

LionMaster disse...

será que serei um dos que te pode continuar a seguir?
Já sabes o meu mail... o meu gmail...

paulinhuh@gmail.com

beijo

Eu Mesma! disse...

minha linda...
já sabes que eu te quero seguri para qualquer lado por isso...

manda-me o link :)

Jinhos

Minhoca disse...

Fico à espera da morada da nova "casa"

Bjsss

Raio de Luar disse...

Bem, ate me assustei!!! óbvio k kero continuar a seguir-te :)

Beijokinhas grandesssss :D

Sonhadora disse...

É uma pena deixares o blog, mas claro que tu é que sabes!
Espero que corra tudo bem, que tenhas saúde e sejas feliz!
Bjocas

Anuska disse...

Minha querida ainda agora cheguei e vais embora... :-(

Anuska disse...

Não voltas mesmo? :-(

Clube dos desgostos disse...

aguardo por noticias da bruxinha...gosto deste cantinho mas quando há necessidade de mudar então que se mude e para melhor!

bjs

Emma

Ric e Sofy disse...

oh bruxinha manda-me a tua nova morada....


Sofy ou Carrie

mjf disse...

olá!
eu quero seguir-te " Bruxinha"
mjf1802@gmail.com

Beijocas

eu disse...

Eu sei o que deve estar a passar.
Compreendo.
Beijinho

as velas ardem ate ao fim disse...

Recusemos a ideia do Pai Natal em que os desejos caem do Céu.

Ousemos acreditar no Pai Natal como ideia de esperança e confiança sem limites.


Feliz Natal!

as velas ardem ate ao fim disse...

Lembra te:

Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor do arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido
(mal vivido talvez ou sem sentido)
para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser;
novo
até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens?
passa telegramas?)


Não precisa
fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar arrependido
pelas besteiras consumidas
nem parvamente acreditar
que por decreto de esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.


Para ganhar um Ano Novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.
[Carlos Drummond de Andrade]

Bjos Bom Ano!